Nós Somos ElesPorElas: USP se compromete a agir pela Igualdade de Gênero
Atriz Emma Watson é uma das porta-vozes do movimento ElesPorElas

Notícias

Nós Somos ElesPorElas: USP se compromete a agir pela Igualdade de Gênero

Em continuidade ao lançamento do Impacto 10x10x10 no início deste ano, a Universidade de São Paulo (USP) anuncia hoje (18) que adere ao Movimento ElesporElas (HeForShe) de Solidariedade da ONU Mulheres pela Igualdade de Gênero como uma universidade defensora do Impacto 10x10x10. A USP torna-se uma das 10 universidades do mundo a se comprometer a realizar ações de impacto e mudanças estruturais para alcançar a igualdade de gênero dentro de sua instituição e em seu entorno. Esse trabalho será feito em parceria com a ONU Mulheres, a Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres. Em setembro de 2014, a ONU Mulheres lançou o movimento solidário ElesPorElas (HeForShe), que busca mobilizar um bilhão de homens e meninos no apoio à igualdade de gênero.

Lançado em janeiro de 2015, durante uma coletiva de imprensa do Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, o programa ElesPorElas Impacto 10x10x10 (HeforShe Impact 10x10x10) engaja 30 líderes-chave em três setores — público, privado e academia. Todos os 30defensores do Impacto assumem compromissos em comum e também propõem compromissos próprios, revisados formalmente por um time de especialistas da ONU Mulheres e aprovados pessoalmente pela diretora executiva da ONU Mulheres, Phumzile Mlambo-Ngcuka.

A USP se comprometeu a desenvolver e implementar um currículo de gênero para os estudantes, professores e funcionários, incluindo a orientação mandatória de todos os novos alunos e alunas e um programa de enfrentamento à violência de gênero. A universidade também acordou que se reunirá com frequência com as outras campeãs de Impacto, para medir e reportar seu progresso de forma transparente, compartilhar boas práticas e mobilizar outras universidades na adesão dessa causa.

“Além das missões tradicionais das Universidades, relacionadas com ensino, pesquisa e extensão, a USP deve ter um papel significativo para promover o progresso social da região. A educação universitária representa uma oportunidade especial para contribuir para a mudança de comportamento, como a erradicação da violência e todos os tipos de discriminação”, destaca o reitor da USP, Marco Antonio Zago.

Uma das principais iniciativas da USP, que integra o projeto da ONU, é a criação do Programa “USP Mulheres”, que será coordenado pela professora da Faculdade de Medicina (FM), Lilia Blima Schraiber. A docente é responsável por um grupo de pesquisas que desenvolve estudos e intervenções sociais voltadas à violência, gênero e práticas de saúde.
Esse programa, que terá um escritório no campus de São Paulo, será responsável pela coordenação do relacionamento entre a Administração da Universidade e a comunidade universitária e a proposição e implementação de iniciativas e projetos voltados para a igualdade de gêneros.

A USP também estabelecerá uma linha de pesquisa interdisciplinar para desenvolver estudos voltados para a diversidade dos aspectos de gênero e o papel do gênero no desenvolvimento urbano. Para o segundo semestre de 2016, está previsto ainda um encontro internacional com a participação das dez Universidades, que terá como tema “Erradicando a violência contra as mulheres nos campi universitários”.

Os defensores de Impacto foram selecionados com base em demonstração de excelência nos serviços públicos, em seu alcance global e relevância, em sua vontade de utilizar integralmente sua trajetória e influência para realizar e inspirar mudanças no ensino superior. As atuais universidades campeãs de Impacto 10x10x10 do movimento ElesPorElas incluem a Georgetown University (Estados Unidos), a Universidade de Hong Kong (China), a Universidade de Leicester (Reino Unido), a Universidade de Nagoya (Japão), a Universidade de Oxford (Reino Unido), a Sciences Po (Paris), a Stony Brook University (of the State University of New York), a Universidade de Waterloo (Canadá) e a Universidade de Witwatersrand (África do Sul).

Sobre a Universidade de São Paulo - Criada em 1934, a Universidade de São Paulo (USP) é uma universidade pública, mantida pelo Estado de São Paulo e ligada à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia.

Sua graduação é formada por 249 cursos, dedicados a todas as áreas do conhecimento, distribuídos em 42 Unidades de Ensino e Pesquisa, com mais de 58 mil alunos. A pós-graduação é composta por 239 programas, dos quais fazem parte 332 cursos de mestrado e 309 de doutorado e que têm mais de 28 mil matriculados. Atualmente, a USP é responsável por 22% da produção científica do país.

A USP é a única instituição brasileira a figurar entre as 200 melhores do mundo e também no QS World University Ranking 2013, realizado peloQuacquarelli Symonds (QS), instituto britânico especializado em educação superior e carreiras, e é a latino-americana mais bem colocada –pelo terceiro ano consecutivo.

Sobre a ONU Mulheres - A ONU Mulheres é a Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres. Foi criada para acelerar o progresso nos direitos das mulheres e meninas em todo o mundo. Para mais informações, acesse o sitewww.onumulheres.org.br www.unwomen.org

Sobre o ElesPorElas (HeForShe) - O ElesPorElas (HeForShe) é um movimento solidário global que convoca homens e meninos a tomarem atitudes e defenderem a igualdade de gênero. A campanha fortalece o apoio aos direitos humanos das mulheres, por meio do engajamento de homens e meninos pela igualdade. Para mais informações, acesse www.heforshe.org/pt


Tag's: Notícias Notícia