1ª Copa Universitária de Futebol Feminino divulga “O Valente não é violento”

Notícias

1ª Copa Universitária de Futebol Feminino divulga “O Valente não é violento”

De 19 a 25 de maio, aconteceu a 1ª Copa Universitária de Futebol Feminino, organizada pela Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU) e pela Federação de Esporte do Distrito Federal. A competição foi disputada por 24 times de futebol vinculados a universidades públicas e privadas. Os jogos aconteceram na capital federal, no Centro Olímpico da Universidade de Brasília (UnB), na Associação dos Servidores da Câmara dos Deputados (Ascade) e na Associação dos Empregados do Serpro de Brasília (ASES).

Durante o primeiro jogo, as equipes da Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT) e da Faculdade Ateneu (FATE Ceará) somaram apoio à campanha “O Valente não é Violento”, iniciativa da UNA-SE Pelo Fim da Violência Contra as Mulheres, do Secretário Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, que conta com o envolvimento de todas as agências das Nações Unidas e é coordenada pela ONU Mulheres. As equipes entraram em campo no Centro Olímpico da UnB segurando a faixa da iniciativa.

Futebol feminino
A 1ª Copa Universitária de Futebol Feminino foi a primeira de uma série de competições programadas para este ano para a modalidade. Deu seguimento ao 2º Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino, retomado depois de quase dez anos sem realização, e ao Torneio Internacional de Futebol Feminino – ambos ocorridos no segundo semestre de 2013.

“A realização da I Copa Brasil Universitária de Futebol Feminino é mais um passo importante para a modalidade, entrando nas universidades o futebol feminino caminha cada vez mais forte rumo ao desenvolvimento”, diz a coordenadora-geral de Futebol Feminino do Ministério do Esporte e ex-jogadora da seleção brasileira, Michael Jackson. A pasta investiu R$ 2 milhões para a realização do campeonato.

Com equipes formadas somente por jogadas matriculadas nas universidades, a competição investe no talento das mulheres e dá novos significados ao futebol, principal esporte no Brasil. “O futebol feminino enfrenta preconceitos, como a falta de investimentos, por conta da desigualdade de gênero. Iniciativas como a Copa de Universitárias são importantes para mudar essa realidade e valorizar o trabalho das mulheres no mundo esportivo”, considera a representante da ONU Mulheres Brasil, Nadine Gasman.


Tag's: Notícias Notícia Futebol